• revistasalasolidar

História da Sala Solidária



O piercer Zeka Campos tinha um desejo de promover ações sociais e ao mesmo tempo incorporar isso ao mundo do piercing. Desta fusão, surgiu o projeto Sala Solidária.


O Coletivo Sala Solidária promove solidariedade através da ajuda entre perfuradores corporais e todo o valor arrecadado em cada ação é transferido integralmente para o beneficiário.


A primeira edição ajudou a Organização Lebem, um espaço comunitário que promove diversos cursos e atividades na área cultural, esportiva, técnica e construção de valores. Foi programado um dia de classes para outubro de 2020, através da plataforma Zoom. Neste dia, 7 perfuradores corporais palestraram sobre diversos temas relacionados ao piercing. Os palestrantes foram: Zeka Campos, Felipe Klash, Thaiane Klash, Paulo Multari, Ralado, Andressa Turchetti e Max Alves. Todo o valor arrecadado ajudou a Lebem a preparar o evento daquele ano para a comemoração do dia das crianças. 


A segunda edição da Sala Solidária ocorreu em maio de 2021 e ajudou a dententas da Cadeia Feminina Municipal de Rondonópolis/MS -fronteira com Paraguai- através do Lepsi. A Organização Lepsi, dirigida por Márcio Newman, é um grupo de psicólogos voluntários que possui um projeto chamado "A Escuta Sensível para além das grades". O projeto arrecada material de higiene pessoal e livros para as detentas, porém, por conta da pandemia do Covid em 2021, o Lepsi não estava conseguindo arrecadar quase nada. No intuito de ajudar nessa causa, a Sala Solidária organizou uma Classe Solidária entre perfuradores e levantou fundos para poder contribuir com o projeto Lepsi. Na segunda parte da ação foram vendidas gravações da Classe e o valor foi repassado à Fundação São Francisco de Assis, que estava arrecadando fundos para ajudar aos moradores de Santa Maria de Itabira, cidade que foi devastada pela enchente de 2021.


A terceira ação solidária foi para ajudar a body piercer brasileira Rhannay, que em 2017 foi diagnosticada com Osteosarcoma, um tipo de câncer ósseo. Após várias cirurgias e quimioterapia ela teve uma infecção bacteriana no osso da perna, chamada Osteomielite, e infelizmente em abril de 2021 ela não teve outra escolha a não ser amputar o membro. A ação do Coletivo Sala Solidária consistia em ajudar Rhannay a conseguir uma prótese para sua perna e voltar a viver seu sonho como Body piercer. 


Foi durante essa ação que começaram as "Rodas de Conversa", bate-papos com perfuradores e pessoas ligadas ao universo do body piercing através da plataforma Zoom sobre assuntos diversos para promover a causa que a Sala Solidária ajudava no momento. Passaram grandes nomes pela primeira temporada da Roda, como: Dj Zuba, Danny Yerna, Luis Garcia, Mauricio Torres "Banana", Matia "Rata" Tafel, Sergi Genera, Rodrigo Buga, Felipe Klash, T. Angel, Andressa Turchetti, André Fernandes, Tamiris Marques, Bárbara Andrade, Bianca Gattoni, Thaiane Campos, Sarah Petruz, e Cleiton Oliveira.


Para a ação da Rhannay, Sergi Genera e Ruben Triguero gentilmente concederam uma Consultoria para perfuradores brasileiros, onde todo o valor da Consultoria foi repassado à Rhannay. 


O Coletivo Sala solidária teve grande apoio nacional e internacional, entre compartilhamentos, doações de vagas para workshops, consultorias e doações financeiras. Também recebemos apoio da Yantra Cloth, que confeccionou camisas que teriam seu valor revertido em doação. 


Encerrando a ação para Rhannay ocorreu um dia de Classes, ministradas por Andressa Turchetti, Paulo Multari, Suvi Piercer, Thiaguinho, Cadu Piercer, Leticia Gomes, Deyse Jay e Mah Skullcat.


O Coletivo Sala Solidária segue em sua missão de ajudar a pessoas e comunidades em necessidade com o apoio da comunidade de body piercers. A opinião do colunista não é, necessariamente, uma opinião do Coletivo Sala Solidária --------------------------------------------------


Pê Mendes

New Jersey - EUA Body Piercer e Tatuadora Membro do Coletivo Sala Solidária


45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Editorial